Jogos divertidos para viagens de férias

Artigo escrito para a B de Brincar por Oficina de Psicologia


Farto de viagens aborrecidas, com reclamações e discussões, jogos portáteis e auscultadores nos ouvidos, em que quase não comunicam uns com os outros?

É fácil ligar o telemóvel ou tablet e deixar a criança a ver filmes, videoclips, ou a jogar horas a fio. Contudo, não serão essas as atividades que ficarão na memória dos seus filhos, mas sim o convívio familiar. Desengane-se quem acha que nas viagens em familia não há nada divertido para fazer. Tudo o que precisa é imaginação e boa disposição! Vejamos alguns exemplos:

  • Partilhar de histórias e aventuras dos pais quando tinham a idade dos filhos.
  • Contar anedotas ou adivinhas.
  • Cantar ou trautear músicas e os familiares tentam adivinhar qual é.
  • Fazer oralmente o jogo do stop, no qual todos os jogadores escolhem uma letra e um tema, por exemplo: cidades com a Letra B e vão variando as categorias (frutas, cidades, países, nomes, profissão, etc...) e as letras.
  • Formar palavras que contenham as letras das matrículas dos carros.
  • Fazer o jogo das 20 perguntas: um jogador escolhe um objeto, animal, ação ou local e responderá às questões dos participantes apenas com “sim” ou “não”. Para adivinharem, os restantes participantes só podem fazer até 20 perguntas, cada um.
  • Fazer o jogo das celebridades, no qual os participantes escrevem o nome de cinco personalidades importantes em pedaços de papel, que serão dobrados e colocados num saquinho. Uma pessoa é escolhida para retirar o nome do saquinho e dar pistas. Cada participante terá um minuto para adivinhar o nome da celebridade antes que o tempo acabe.
  • Apreciar e descrever a vista da janela, explorando em conjunto o que observam, perceber as diferenças de fauna e flora ou arquitetura que vão encontrando ao longo do percurso.
  • Aprender geografia - dê ao seu filho um mapa, para que vá acompanhando o itinerário da viagem e associando as paisagens aos locais de passagem. Assim, terá maior noção do tempo e espaço percorrido.
  • Preencher livros de atividades variadas (diferenças, labirintos, sopa de letras), livros para colorir, plasticinas, desenhar, leitura de livros (se não enjoarem).
  • Se viajar com mais de uma criança no banco de trás podem fazer jogos em conjunto: 4 em linha, fantoches de dedo, jogos de cartas, origamis, jogos de tabuleiro. Almofadas ou bases de computador portátil podem ser úteis para facilitar estas atividades.
Se viajar de carro, faça várias pausas na viagem para as crianças comerem, irem à casa de banho (mesmo que digam que não têm vontade), correr um pouco, brincar nos parques infantis das estações de serviço. Estas paragens são essenciais principalmente nas viagens longas e quando as crianças começam a ficar demasiado impacientes.

Para que as férias sejam ainda mais memoráveis, faça em conjunto com os seus filhos um diário da viagem, com fotografias (também tiradas pelas crianças), relatos de experiências divertidas, desenhos, curiosidades, listas de coisas novas que viram ou alimentos que provaram, por exemplo. Colecionem cartões postais de lugares visitados, escrevendo uma mensagem. Quando as crianças forem crescidas terão uma biblioteca de recordações!

Independente do destino das viagens, estas são oportunidades preciosas para reforçar os laços entre todos.

Boas férias!

Por Raquel Carvalho
Psicóloga Clínica - Oficina de Psicologia